Arquitetos mostram como deixar a casa mais arejada

20 de setembro de 2017

A próxima sexta-feira marca o início oficial da primavera no Hemisfério Sul, o que soa como um prenúncio inevitável para quem vive “do lado debaixo do Equador”: a coisa vai ficar quente nos próximos meses (e bem quente, no caso do Rio).

Para quem não tem ar-condicionado ou não quer pesar a mão no uso desse aparelho por causa da conta de luz, a dica é prestar atenção nos detalhes da casa. Segundo arquitetos, os cuidados com os materiais usados nos ambientes e a utilização de plantas podem amenizar a sensação de calor.

A julgar pelas previsões, é bom se preparar mesmo. A climatologista do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais Renata Tedeschi conta que a primavera deste ano deve ser marcada por temperaturas acima da média histórica na região Sudeste.

— Há uma grande possibilidade de atraso no início da estação chuvosa. Em vez de se dar em meados de outubro, como normalmente acontece, deve ficar para o fim do mês. Além disso, as mudanças climáticas têm feito com que as temperaturas aumentem a cada ano — justifica ela.

Para enfrentar esta situação com mais conforto, a arquiteta Fernanda Carminate diz que um ponto central é garantir uma boa ventilação cruzada no imóvel. E isso pode ser potencializado com algumas intervenções, como aumento dos vãos e das esquadrias de entrada de ar, além da remoção de tudo o que possa impedir essa ventilação, como móveis muito grandes.

— O uso de cobogós e painéis de marcenaria vazados são ótimos para dividir ambientes sem impedir a circulação de ar — cita ela.

Neste sentido, a cozinha pode esconder uma boa fonte de ar fresco, já que, geralmente, há ventilação neste espaço. Fernanda afirma que integrá-la à sala ou aumentar o vão de conexão com esse ambiente, caso já seja do tipo americana, também são recursos que ajudam a arejar a casa.

— Para quem tem apartamento térreo com área aberta, também indico abrir o máximo possível os vãos de ligação com a área — acrescenta ela.

PISOS E REVESTIMENTOS

A escolha dos pisos também tem seu valor nos dias mais quentes. Os do tipo frio são a melhor pedida e pedras naturais, como ardósia, estão em alta, segundo a arquiteta. Porcelanatos e pisos hidráulicos também caem muito bem, inclusive fora da sua utilização mais óbvia.


— Uma cabeceira de cama feita com pisos hidráulicos dá uma ótima sensação de frescor — ilustra ela.

Ter uma boa iluminação natural — o que não significa incidência direta do sol — também colabora para uma sensação térmica mais agradável. E para quem mora em casa, uma tradição que vem do período colonial continua muito atual, na opinião de Fernanda: ter varanda em volta de toda a habitação ajuda a suavizar os efeitos do sol.

Voltando ao interior: carpetes, tapetes, almofadas em excesso e cortinas pesadas devem ser evitados. Como recomenda a arquiteta Marise Kessel, tudo o que é feito a partir de tecidos mais naturais proporciona mais conforto nesta época do ano.

— Não recomendo materiais excessivamente sintéticos — diz ela. — Já o linho e o algodão trazem mais leveza.

Outro detalhe importante diz respeito às lâmpadas usadas nos cômodos. Os modelos de LED são os mais indicados pela arquiteta, já que as incandescentes esquentam muito.

E se o ar “sempre ele” condicionado é indispensável para a sobrevivência no verão, Marise também diz que dá para fazer um uso mais eficiente do aparelho.

— Para quem usa o modelo split em espaço retangular, por exemplo, o ideal é que o equipamento fique de frente para a área mais comprida. Isso permite uma ventilação mais homogênea — diz ela, comentando que os clientes já pedem a instalação de ar-condicionado até na cozinha dos apartamentos.

Para o mobiliário, Marise aconselha que móveis mais pesados sejam contrabalanceados por itens leves, feitos em madeiras mais claras

— Acho que esta é a verdadeira cara do Rio. Já não se usa muitos ambientes carregados aqui — reflete ela.

TOQUE VERDE

Por último, mas não menos importante, que tal espalhar umas plantas pela casa? Segundo a paisagista Rayra Lira, da J. Lira Green Life, tem para todos os gostos e tipos de imóveis. Só não vale apelar para os modelos de plástico, já que não têm as capacidades biológicas das naturais.



— É cientificamente comprovado que as plantas podem melhorar o clima nos ambientes. Quando o morador faz a rega, a água evapora e fica no ar, deixando a temperatura mais amena. Além disso, elas tornam o ar mais puro — comenta Rayra.

Para dentro de casa, ela não recomenda samambaias, porque soltam muitas folhas. Já a columeia africana e o véu-de-noiva desempenham bem esse papel, assim como a jiboia, que é bastante resistente. Para o quarto, erva-doce e capim-cidreira são recomendadas não só para refrescar, como para proporcionar um sono mais agradável devido às suas propriedades.

— Para quem tem varanda, costela-de- adão é uma dica. Pleomele verde e pleomele variegata também são ótimas para este local, porque resistem ao sol extremo e ajudam a fazer sombra. E ainda dá para plantar boldo ou suculentas aos pés delas — sugere Rayra. — Com estes recursos, o morador certamente vai ter um ar mais suave. Dá para sentir na pele!

Fonte: O Globo

O Residencial Reali Fiori, em Campos do Jordão, é o investimento certo para você!

Não deixe de conhecer nosso empreendimento! Apartamentos de 63 m², 2 dormitórios e preços a partir de R$ 190.000,00, com condições facilitadas.

Saiba mais clicando aqui
.