Especialista afirma que, mesmo na crise, é melhor comprar que alugar um imóvel

24 de maio de 2017

Enquanto os lançamentos de imóveis apresentaram aumento de 9% no ano passado, em comparação com 2015, a venda de novas unidades recuou 8% no mesmo período. Segundo o especialista em negócios imobiliários Neilvaldo Gonçalves, a queda das vendas foi a consequência no mercado imobiliário da crise no país.

- O mercado imobiliário vem sofrendo com a crise dos últimos anos, o que fez os preços, seja dos imóveis postos para comercialização ou daqueles destinados a locação, despencarem. Assim, hoje, os consumidores com bons recursos financeiros à disposição ótimas opções de negócio.

Ainda de acordo com Neivaldo, os consumidores com menor poder aquisitivo devem seguir investindo no sonho da casa própria. Atualmente, o aluguel de um imóvel nas faixas mais baixas de preço tem o valor correspondente (ou até maior) ao da prestação do financiamento. Um exemplo são os imóveis do “Minha Casa, Minha Vida” (MCMV), com preços e parâmetros mais acessíveis que os praticados pelo mercado imobiliário.

- O programa permite a aquisição de um imóvel próprio em valores inferiores àqueles usualmente praticados pelo mercado, e sem comprometimento de grande parcela do orçamento familiar. Essa seria uma boa opção para o tão desejado sonho da casa própria - afirma o especialista.

Foi pensando dessa forma que o aposentado Hélio Peixoto, de 59 anos, comprou nesse ano seu primeiro apartamento. Ele financiou um imóvel num empreendimento do MCMV em Gardênia Azul, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, e se livrou do aluguel:

- As parcelas cabem no bolso. Já que eu ainda estava no aluguel, era melhor assumir um financiamento de um empreendimento que no futuro será meu.

Fonte: Jornal Extra